Published in Blog
maria filomena fale' maria filomena fale'

A Viagem de Alice - Políticos e fraldas

Políticos e fraldas devem ser trocados de tempos a tempos, pelo mesmo motivo.
Eça de Queiróz

Eça de Queiróz. Escritor e diplomata.

Nasceu em 1845 e morreu em 1900. Viveu apenas 55 anos e deixou uma obra ímpar.

Lúcido, sarcástico, cáustico. Senhor de uma escrita exemplar, usou as palavras como poucos o sabem fazer.

Numa sociedade carregada de “vícios privados e públicas virtudes” teve o arrojo de colocar o dedo na ferida e denunciar como ninguém.

Eça de Queiróz foi um visionário.

Os livros que escreveu mostram bem que a arte de fazer política se confunde (muitas vezes) com a arte de fazer porcaria.

Através da leitura dos livros de Eça de Queiróz, podemos constatar que de uma forma geral, muito pouco mudou.

Agora há internet, telemóveis, tv por cabo, aviões rápidos, TGV's, TAC's e RM's, futuros e opções, caixas automáticas de levantamento, compras on line, sei lá mais o quê.

Mas a essência humana não mudou e a forma de fazer política também não; pudera, a matéria prima é a mesma!

Basta olhar para os dirigentes políticos a nível mundial para entender que são como as fraldas - e, tal como as fraldas, precisam de ser trocados amíude.

A essa necessidade de troca chama-se democracia.

No fundo, a democracia nada tem a vêr com um governo do povo e para o povo, mas sim  com uma necessidade de salubridade: quando o cheiro é demasiado mau... faz-se uma troca.

Devo dizer que tenho a sorte de conhecer políticos íntegros, movidos pela vontade de bem servir as suas comunidade.

São é tão poucos...

Maria Filomena Fale'

Foto - Cicerox - Internet