Published in Editorial
o editorial o editorial

Fomos duramente criticados e por isso agradecemos

  • "A mulher mais bela que está no Parlamento de Cabo Verde" - Será que o estilo adotado pelos maiores órgãos de informação internacionais não pode ser "importado" para Cabo Verde?

Santa Maria – 21 de Setembro - Na semana passada publicamos o resultado de uma pesquisa, limitada a alguns cidadãos da Capital, que levantou muitas críticas e polémicas.

Uma equipa do Ocean Press saiu às ruas da Cidade da Praia avançando a pergunta de qual seria “A mulher mais bela que está no Parlamento de Cabo Verde".

As respostas foram numerosas, em parte dadas com postura séria e empenhada, outras de forma simpática e divertida.

O artigo que acompanhou esta vídeo reportagem, foi muito claro ao explicar que o objetivo desta pequena pesquisa era, por uma vez, deixar de lado avaliações sérias e empenhadas como analisar o nível de inteligência e competência das nossas parlamentares, mas para avaliar simplesmente qual seria a "mulher mais bela" segundo o ponto de vista de um grupo de cidadãos da Capital.

A nossa expectativa foi propor, no meio de cerca de 200 artigos semanais que publicamos com uma certa regularidade, uma peça simpática e fora do esquema clássico da postura jornalística tradicional em uso em Cabo Verde.

No final não inventamos nada de novo sendo que artigos deste género são propostos, com regularidade também diária, nos maiores órgãos da comunicação social dos países estrangeiros inclusive os prestigiados Mirror, Daily Mail, Time Magazine e muitos mais.

Para quem não acreditar basta digitar no Google a frase " the most beautiful women in Parliament" e prestar atenção aos resultados.

Indo ao ponto central deste editorial, queremos dizer que ficamos bastante surpreendidos ao ler, ao pé do mesmo artigo e nas redes sociais, alguns comentários, para não dizer ataques, muito duros e abertamente polémicos endereçados ao produtor da peça e, mais em geral, à direção do mesmo jornal.

Também alguns jornalistas da concorrência e da "inteligência" da comunicação social, que de qualquer forma deveriam estar acostumados a acompanhar também a imprensa internacional, não pouparam palavras violentas e desrespeitosas declarando-se também "indignados" pela publicação deste artigo.

A redação do Ocean Press, ficando surpreendida por ter recebido essas duras sequelas de ataques gratuitos, reuniu-se para analisar o caso respondendo a algumas perguntas:

- Será de considerar grave sair no terreno para avançar uma pergunta simples e pouco empenhada, como fizemos nesse caso, para depois publicá-la, na "rúbrica" de um jornal online, dedicada às "mulheres"?

- Será ofensivo e inoportuno misturar artigos sérios e sobretudo com tanta crónica policial com artigos "leves" e "relaxantes" para conseguir o objetivo de não encher o diário só de notícias tristes e preocupantes?

- Será falta de profissionalismo fazer isto de forma original e simpática deixando por uma vez de lado uma postura rígida e atávica?

- Será que o estilo adotado pelos maiores órgãos de informação internacionais não pode ser "importado" para Cabo Verde?

Fomos todos a concordar em responder "não" a todas as quatro perguntas e fomos também a concordar no decidir de continuar nesta forma ou seja de trazer o Ocean Press a ser sempre mais um contentor de notícias, de inquéritos, de rúbricas temáticas e de qualquer coisa que não seja somente informação, mas que seja também útil, prática, divertida e fora do esquema da monotonia e da clássica tradição jornalística.

Sendo o Ocean Press uma empresa completamente livre, autónoma e independente de qualquer área política, das corporações e dos grupos de poder, alcançar este perfil será coisa bastante fácil.

Entres os próximos milhares de artigos que iremos a publicar não irão faltar novas peças com conteúdos picantes, com reportagens insólitas e com “apanhados” originais e, em qualquer caso fora do esquema do hábito tradicional.

A forma de fazer jornalismo em Cabo Verde já mudou e está no bom caminho para ser sempre mais completa, original, atraente e alinhada com o padrão internacional.

A reportagem da "Mulher mais bela do Parlamento" trouxe resultados inesperados.

Chegaram muitas lidas e tantas críticas que alimentaram ainda mais o entusiasmo da nossa equipa que já está pronta a sair no terreno para trazer, a benefício dos nossos leitores, novos conteúdos ainda mais originais e cheios de muitas novidades.

O Editorial

Artigos relacionados:

Quem será o primeiro político de topo a renunciar à aparência para ser ele mesmo?

Diáspora - "Bu ten ki voltâ pa bu muda Cabo Verde"

Transportes - Uma dor de cabeça constante

TACV - Quando o medo da concorrência faz tomar decisões ilógicas

Quando não soubermos mais o que significa a falta de energia

As "piores" ilhas de Cabo Verde? Brava e Maio

“Estado da Nação” - As mentiras pronunciadas no Parlamento

Eleições 2016 - Os comentários dos taxistas da Praia

Porque o cabo-verdiano geralmente não protesta?

Dívida pública fora de controlo numa economia quase parada

Como julgaria Cabral o País se estivesse vivo?

Quando a justiça desilude os cidadãos e as forças de ordem

Saúde - De "má sanidade" se continua a morrer

Procura-se Ministro do turismo

Porquê os transportes aéreos vão mudar a história do País

Cristina Duarte - Nenhuma deceção mas foi uma expectativa excessiva

TURISMO - A maior fábrica do País trabalha somente 5 meses por ano

Um país com o travão de mão puxado

Ocean Press comemora hoje o primeiro ano de vida